sábado, 31 de janeiro de 2009

Pato Bragado (PR)
Depois de Americana (SP), agora mais duas crianças foram brutalmente assassinadas no Paraná...vítimas indefesas, assassinadas para impedir o reconhecimento do(s) autor(es) dos homicídios.
A reprovabilidade desse tipo de crime recomenda que a pena mínima para esse tipo de delito deveria começar em 15 anos, e não apenas em 06 (com 2 anos já está na rua), enquanto os crimes contra a vida progridem as penas do Código Penal para esses crimes pouco mudaram nos últimos sessenta anos.
Revisão do Código Penal se faz necessária, crimes inúteis devem ser revogados e os casos mais graves devem ter suas penas readequadas para a nova realidade social.
Uma vítima assassinada foi condenada á pena de morte pelo assassino! Congresso Nacional deve agir e reparar essa injustiça, a vida não pode valer menos que o patrimônio (este sim, é protegido pelo Código Penal), pena para crimes de homicídio em face de crianças deveria ter a sua pena elevada mínima elevada para 15 anos.

Um comentário:

Vera Celms disse...

Concordar com este artigo talvez não acrescente em nada. Vimos todos os dias crimes bárbaros passarem impunes. Hoje, não querendo ser repetitiva, as pessoas de bem se obrigam ao encarceramento doméstico para que a 'bandidagem' possa atuar mais livremente contra os menos prudentes. Acho, como sei, grande parte da população deveria haver uma revisão para as penas a crimes contra a criança, adolescentes e menos favorecidos (gays, mulheres,idosos,etc). Não se trata de fragilidade rotulada, mas de realidade. Precisamos de posturas mais ousadas, de debates mais abertos e de justiça menos velada. Parabéns!