quarta-feira, 12 de março de 2008

Ministério Público da Paraíba promoverá fórum para debater o bullying. Criminólogo Lélio Braga Calhau (MG) é um dos palestrantes confirmados.

Promotora de Justiça Soraya Escorel, organizadora do Fórum e da campanha anti-Bullying

O Ministério Público da Paraíba lançará nos dias 28 e 29 deste mês uma campanha educativa para combater o bullying nas escolas privadas e públicas do Estado. O lançamento acontecerá durante o I Fórum Paraibano Sobre Bullying Escolar e Incentivo à Cultura de Paz, que será realizado no Centro de Convenções Cidade Viva, em João Pessoa e está sendo organizado pela Curadoria da Infância e Juventude.
Entre os palestrantes estão a doutora em violência, Cléo Fante, autora do livro "Fenômeno Bullying", Lélio Braga Calhau, Promotor de Justiça (MG) e criminólogo; Guilherme Shelb, Procurador da República e autor do livro “Violência e Criminalidade na Juventude” e José Augusto Pedra - presidente do Centro Multidisciplinar de Estudos e Orientação sobre o Bullying Escolar (Cemeobes).
Da Paraíba participarão do fórum, como palestrantes, a promotora de Justiça Fabiana Lobo, e o juiz da Infância e Juventude, Fabiano Moura de Moura. Durante o evento será lançada uma cartilha anti-Bullying, que foi elaborada pela Curadoria da Infância e da Juventude. De acordo a curadora da Infância e Juventude Soraya Escorel, organizadora do Fórum e da Campanha anti Bullying, a proposta do Ministério Público é envolver as escolas da rede particular e pública de ensino de João Pessoa.
Os temas a serem debatidos durante o I Fórum Paraibano Sobre Bullying Escolar e Incentivo à Cultura de Paz são “Bullying Escolar”, a “Construção da Cidadania, Causas e Consequências do Fenômeno do Bullying - Implicações Psicológicas”, e “Implicações Jurídicas e Legislação Pertinente”.“
Juízes, promotores, advogados, estudantes de Direito, psicólogos e pedagogos do Brasil inteiro já manifestaram a intenção de estar presente ao evento, que servirá de exempl0o para o Brasil e para o mundo, pela dimensão e organização”, declarou Soraya Escorel. Ela observou que maiores informações poderão ser obtidas na Curadoria da Infância e Juventude da Capital através do telefone 2107-6124, no horário das 13h00 às 17h00.
A Promotora da Infância e Juventude Soraya Escorel, desde o ano passado, após o episódio ocorrido numa escola da Capital, passou a se dedicar ao estudo do assunto bullying. “Nós estamos cientes da responsabilidade que tem o Ministério Público com a prevenção à violência e de esclarecer a sociedade como um todo que o foco do problema não poderá ficar restrito a responsabilização, em face de uma conduta reprovável, mas alertar para a importância de se conhecer o problema e preveni-lo”, afirmou Soraya, acrescentando que “daí iniciou-se uma cruzada no enfrentamento da temática dos problemas decorrentes do bullyng, e, principalmente, na adoção de medidas preventivas ao seu combate”.

Nenhum comentário: