sábado, 7 de julho de 2007

Ministério Público de Minas Gerais realiza visita ao programa "Fica Vivo" em Governador Valadares.



O Ministério Público Estadual, representado pelo Promotor de Justiça de Governador Valadares, Lélio Braga Calhau, acompanhado de servidores da Secretaria de Defesa Social de Minas Gerais e de policiais militares do Sexto Batalhão de Polícia Militar, realizou na última sexta-feira, 8 de junho, uma visita ao bairro Turmalina em Governador Valadares, na região do Rio Doce. O bairro é um dos bolsões de pobreza e de criminalidade da área e a visita foi realizada para conhecer de perto o trabalho do "Programa de Redução de Violência Fica Vivo" no local.


Foram visitadas algumas oficinas mantidas pela Secretaria de Estado da Defesa Social no bairro, onde mais de 400 jovens participam efetivamente de diversos cursos como artesanato, dança, grafite, bordado, informática, capoeira, teatro, música, entre outros.

Os esclarecimentos sobre o funcionamento dos cursos, que buscam retirar os jovens das ruas e proporcionar-lhes atividades profissionalizantes, entre outros objetivos, foram prestados ao Ministério Público pela coordenadora do programa local, Marcelina Martins Alves.

Durante a visita, o promotor conversou com os "oficineiros", agentes contratados para ministrar os curso, e com alguns jovens, que se manifestaram favoravelmente à manutenção e à ampliação do programa no bairro. Foi realizado um levantamento dos pontos críticos de ação da criminalidade no bairro Turmalina, que serão repassados formalmente ao Ministério Público estadual.

Segundo Lélio Braga Calhau, o "Programa Fica Vivo" representa a efetivação das mais modernas técnicas de intervenção da Criminologia em espaços territoriais delimitados, buscando afastar a juventude da criminalidade e, em especial, do envolvimento com o tráfico de drogas. “Estamos atuando de forma integrada com a Secretaria de Defesa Social e as Polícias Civil e Militar no sentido de impedir que a criminalidade substitua a ação do Estado no local. Com o Programa Fica Vivo, Minas Gerais procura, primeiramente, atacar as causas do crime e, não somente, as conseqüências”, informou o Promotor de Justiça.

Nenhum comentário: