quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Prisão perpétua para "cérebro" do genocídio em Ruanda
Segundo o Portal UOL, o Tribunal Penal Internacional para Ruanda (TPIR) condenou nesta quinta-feira à prisão perpétua o coronel Theoneste Bagosora, considerado o "cérebro" do genocídio em Ruanda em 1994, assim como outros dois antigos oficiais do Exército.
"O tribunal condena Bagosora, Ntabakuze e Nsengiyuvuma à prisão perpétua", anunciou o juiz norueguês Erik Mose, em referência a outros dois oficiais acusados ao lado de Bagorosa.Os três foram considerados "culpados de genocídio, crimes contra a humanidade e crimes de guerra", acrescentou o juiz.O tribunal absolveu o quarto acusado do processo, o general de brigada Gratien Kabiligi.
Veja a matéria na íntegra no link abaixo:
PS - quer saber mais sobre o tema veja, então, o filme "Hotel Ruanda", de 2004. Fácil de ser encontrado em locadoras e baseado em fatos reais.

Nenhum comentário: