quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Seminário de Criminologia mostra evolução do sistema prisional em Minas Gerais Foto: Renato Cobucci/Secom-MG
O I Seminário do Conselho de Criminologia de Minas Gerais ocorreu na sede da OAB-MGBELO HORIZONTE
Reformas, ampliações, transferências administrativas, investimentos em capacitação profissional e ampliação de vagas foram alguns dos temas da palestra do subsecretário de Administração Prisional, Genílson Ribeiro Zeferino, no I Seminário do Conselho de Criminologia de Minas Gerais, nesta quarta-feira (10), na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Belo Horizonte.
Em 2008, foram inaugurados sete presídios e ampliadas quatro unidades já existentes. Além disso, a Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) assumiu 17 cadeias públicas e um Centro de Remanejamento de Segurança Prisional (Ceresp) que estavam sob a responsabilidade da Polícia Civil, dando continuidade ao compromisso do Governo do Estado de liberar policiais civis e militares para o exercício de suas funções institucionais. “Ainda este ano vamos inaugurar um presídio no Sul do Estado, um albergue na Penitenciária José Maria Alckimim e o Centro de Referência que vai abrigar mulheres grávidas a partir do sexto mês de gestação”, anunciou o subsecretário. Às inaugurações somam-se ainda outras duas assunções de cadeias públicas.
O subsecretário também ressaltou as parcerias firmadas para absorção da mão de obra dos presos, aproximadamente 350. Hoje, 4.180 detentos trabalham dentro ou fora das unidades prisionais e 4.654 estudam, sendo que em Uberaba (Triângulo Mineiro), 16 presos da Penitenciária Aluízio Ignácio de Oliveira estão matriculados em cursos de ensino superior.
O chefe da Polícia Civil de Minas Gerais, Marco Antônio Monteiro, ressaltou o trabalho feito pela Suapi. “Entregar a administração destas cadeias têm servido de estímulo aos policiais civis que podem então voltar a exercer sua função investigativa”, disse.
Membro do Conselho de Criminologia mineiro, o deputado estadual Délio Malheiros (PV), atribuiu os avanços do sistema prisional ao investimento feito pelo Governo do Estado em segurança pública. “Nenhum outro governo (de Estado) investe tanto neste setor e a política que vem sendo aplicada em Minas, não vemos em nenhum outro lugar”, enfatizou.
Para o diretor do Conselho, Celso de Magalhães Pinto, o seminário servirá ainda para mostrar aos servidores as atribuições de cada setor da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), com destaque para o prisional. “A Suapi cresceu muito e tende a crescer ainda mais. Daí a importância da realização do seminário que serve de ferramenta de integração e disseminação de informações para que todos conheçam as atribuições do Conselho”, afirmou.
O Conselho de Criminologia é quem formula a política criminal do Estado. O I Seminário do Conselho de Criminologia propõe um debate aberto sobre o Sistema Prisional de Minas Gerais aproximando a Suapi dos demais segmentos da sociedade.
O evento termina nesta quinta-feira (11), quando serão realizadas palestras sobre Defensoria Pública, funções do Conselho de Criminologia e do Conselho Penitenciário mineiro e direitos humanos para o servidor e o detento. Fonte: Agência Minas.

Nenhum comentário: