sábado, 28 de junho de 2008

Conselho Federal de Psicologia - CFP cobra a implantação políticas públicas para o trânsito
Belo Horizonte foi palco do 1º Seminário de Saúde e Cidadania no Trânsito. O evento, organizado pela Comissão Intersetorial de Contole e Prevenção de Acidentes de Trânsito de BH, ocorreu nos dias 17 e 18 de junho. Além das palestras sobre ações e intervenções em empresas públicas, universidades e empresas particulares; houve oficinas relacionadas à promoção da saúde e cidadania no trânsito.
Segundo a representante do Conselho Federal de Psicologia (CFP) e do Movimento Nacional pela Democratização no Trânsito (MNDT), Andréa Nascimento, todas as oficinas construíram teses no intuito de cobrar do Sistema Nacional de Trânsito políticas públicas que abordem o trânsito de forma multidisciplinar. "Com especial atenção a educação de trânsito, cujo objetivo é a formação de um trânsito cidadão, com prioridade a fluidez não motorizada", explicou Andréa.
"Encontros deste porte mostram o quanto a Psicologia pode contribuir nessa discussão e também com o conhecimento prático. A oficina de Planejamento Viário, por exemplo, mostrou como a desumanização das cidades já está sendo o foco de discussão de engenheiros e arquitetos que demonstram pr! eocupação com a excessiva ‘asfalterização’", completou Andréa.
Participaram do encontro 400 pessoas de 32 cidades de oito estados, sendo que 60% delas estão envolvidos diretamente com o tema.
Do Sistema
Conselhos de Psicologia, estiveram presentes o CRP 01(Distrito Federal, Acre, Amazonas, Roraima e Rondônia), CRP 03 (Bahia/Sergipe), CRP 05 (Rio de Janeiro), CRP 06 (São Paulo) e CRP 16 (Espírito Santo). O Seminário contou ainda com o apoio da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTRANS), do CRP 04 (Minas Gerais), do Ministério da Saúde, do Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN) e da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP).
"O Ministério da Saúde elogiou intensamente as atuações do CFP e do MNDT nas discussões referentes ao trânsito, saúde, cidadania e a mobilidade humana", afirmou Andréa.

Nenhum comentário: