quinta-feira, 22 de maio de 2008

Há vítimas e vítimas.
Arquiteta é acusada de xingar segurança da Casa Cor de "macaco"
Matéria do site da UOL e na Folha de São Paulo, de 21.05.08.
Vocês já devem ter ouvido falar que no sistema criminal "há réus e réus". Bem, esse adágio lembra que há vários tipos de réus nos processos, uns mais culpados, outros menos; uns provocadores, outros agiram com excesso, etc.
A vítima não pode ser esquecida no contexto da análise de um crime. Há vítimas e vítimas.
Temos visto na prática que, em alguns casos, a vítima (ex: adolescentes infratores são mestres nessas coisas) inventa uma acusação desse tipo com o intuito de tumultar o processo criminal. O caso recente do travesti envolvendo o jogador Romário é um exemplo.
Fiquemos de olho nos réus, mas nas vítimas também. A dinâmica de cada delito exige que se analise a conduta de réus e vítimas nos crimes.
Algumas "vítimas", em verdade, são criminosos que querem se projetar para a sociedade com esse tipo de acusação. Todo o conjunto probatório do inquérito ou do processo deve ser analisado com cautela e, em especial, nesses casos.

Nenhum comentário: