sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Tecnologia forense
Estou estudando, pesquisando e coletando materiais sobre o tema no Brasil nos últimos 12 meses. É triste, mas a grande parte do país, está na "era pré-histórica" da Criminalística.
Salvando alguns grandes centros, que são verdadeiras "ilhas de excelência", o resto do país apura e processa os crimes quase todos, apenas com provas testemunhais e perícias de pequena e média complexidade, com grave prejuízo para a sociedade civil.
Somando os quatro anos de advocacia criminal e sete de Ministério Público Estadual (11 anos ao todo), posso afirmar que nunca atuei (e nem vi) um inquérito/processo criminal que foi solucionado com a prova do DNA.
Isso é um absurdo, pois cidades norte-americanas de pequeno e médio porte dos Estados Unidos da América já têm acesso a essa tecnologia desde o final da década de 80 e início dos anos 90.
E o Brasil? Como ficamos senhores congressistas e senhores governadores estaduais? Falta investimento efetivo para a área forense. Precisamos de mais peritos, treinamentos e equipamentos para melhorar a qualidade da prova a ser exibida de juízo.

2 comentários:

Anônimo disse...

com razao o comentário, estamos quase á pé, junior, belém do pará

Anônimo disse...

deve escapar, são paulo, rio e olhe lá, joão de oliveira, são paulo (capital)