quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Infoseg utilizará ferramenta de segurança de bancos
Brasília (MJ) – O Ministério da Justiça vai recadastrar todos os 107 mil usuários do da Rede Infoseg, criado para integrar as bases de dados de órgãos de segurança pública, Justiça e fiscalização.
A decisão foi tomada nesta terça-feira (23), na abertura do III Encontro Nacional da Rede Infoseg, em Brasília, devido a denúncias da divulgação e venda de senhas por bandidos.
A iniciativa visa adotar métodos mais seguros para o acesso aos dados.
O principal deles tornará obrigatório o uso de um modelo similar ao oferecido pelos bancos em transações pela internet - a senha terá que ser digitada num teclado virtual na tela, impedindo a gravação dos números por hackers.
A demonstração do novo sistema está prevista para esta quarta-feira (24), às 8h. “O crime não respeita fronteiras.
O Infoseg ofereceu um salto de qualidade nas informações criminais, num cenário que era de fragmentação e falta de acesso aos dados. Agora, trabalhamos na atualização do sistema”, declarou o secretário Nacional de Segurança Pública, Ricardo Balestreri.
Ainda nesta quarta-feira, também está prevista a discussão sobre cuidados para garantir o funcionamento ininterrupto do Infoseg e a criação de uma comunidade que permitirá o compartilhamento de softwares seguros desenvolvidos pelos integrantes da Rede.
O evento prossegue até sexta-feira (26) com mais de 180 técnicos e gestores do sistema nos estados.
Resultados
Apesar da Rede Infoseg não ter uma ferramenta específica para apurar a quantidade de crimes solucionados através dos dados do sistema, o diretor de Programas e Projetos, da secretaria Nacional de Segurança Pública, Guaracy Mingardi, divulgou os resultados que os operadores da Rede enviaram voluntariamente. No terceiro trimestre (julho, agosto e setembro) de 2008, foram cumpridos 293 mandados de prisão e apreendidos 142 veículos.
“Estimo que as notícias de sucesso que chegam representem entre 2% e 5% do total de casos que contaram com o auxílio do Infoseg. Muitas notícias são enviadas principalmente pelas assessorias de imprensa de instituições como polícias Militar e Civil, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal”, explicou.
Mingardi também anunciou que investigações nos estados com o cruzamento de informações do Infoseg resultaram na apreensão de mais de 360 kg de maconha, 735 kg de cocaína e 1 kg de crack.
Saiba mais sobre o Infoseg
A Rede Infoseg permite a integração das bases de dados dos órgãos de segurança pública, justiça e fiscalização nas esferas federal, estadual e municipal de forma rápida e confiável. Os usuários têm acesso às informações nacionais de veículos (Renavan) e condutores (CNH), armas, CPF, CNPJ, processos e inquéritos, entre outras.
Um policial que deteve um suspeito no Amazonas, por exemplo, consegue por meio do Infoseg saber se o indivíduo possui um mandado de prisão em aberto em outro estado ou se tem armas registradas.
Em funcionamento desde 2004, o Infoseg já tem 107 mil usuários em todo o país, que fizeram mais de 20 milhões de consultas no primeiro semestre deste ano. A previsão é investir R$ 6,5 milhões no fortalecimento do sistema – sendo R$ 2 milhões em segurança.

Nenhum comentário: