quinta-feira, 24 de julho de 2008

Nos 80 anos da PRF, Tarso defende endurecimento das leis de trânsito
Brasília, 07/08 (MJ) – O ministro da Justiça, Tarso Genro, voltou a defender o rigor nas penalidades previstas no Código de Trânsito, como instrumento essencial para a redução do número de vítimas nas estradas.
Tarso lembrou, em discurso na cerimônia de comemoração dos 80 anos da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Brasília, que ainda é preciso regulamentar a legislação, para que se torne mais efetiva.
As propostas estão em estudo no Ministério. Segundo Tarso Genro, não basta aumentar o valor das multas - que serão corrigidas pela inflação apurada de 2000 a 2007. É também essencial investir em fiscalização. “
Já aprovamos mais três mil cargos para PRF e vamos batalhar para que o concurso saia rapidamente”, informou. “A essência do movimento que estamos fazendo é criar na sociedade um sentimento contra a impunidade. O cidadão não pode beber, atropelar, matar e ir para a casa como se não tivesse nenhuma responsabilidade”.
Sobre a Polícia Rodoviária Federal, o ministro disse que constitui motivo de orgulho para todos os brasileiros e que a corporação é de vital importância para o sucesso do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci). “A PRF sempre foi considerada uma espécie de prima pobre do poder de polícia da União. Logo que assumi, me detive em trabalhar em conjunto com a força policial, para mudar esse conceito”.
Selo comemorativo
Como parte das comemorações, os Correios (ECT) lançaram um selo em homenagem à Polícia Rodoviária Federal, criada pelo ex-presidente Washington Luís, em 1908.
Entre os participantes da solenidade desta terça-feira estavam o diretor-geral da PRF, Hélio Derenne, e o ministro das Cidades, Márcio Fortes. Tarso, Derenne e Fortes foram alguns dos agraciados com a medalha de honra ao mérito concedida pelos serviços prestados à instituição e ao país.

Nenhum comentário: