terça-feira, 9 de setembro de 2008

Diretor reitera que Abin não tem equipamentos para grampos
O diretor-geral afastado da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), delegado Paulo Lacerda, reafirmou que a Abin não tem equipamentos que façam grampo telefônico e sim para fazer varredura de telefones.
Vários parlamentares lembraram que o ministro da Defesa, Nelson Jobim, havia sustentado o contrário - que os equipamentos adquiridos em parceria com o Exército teriam a capacidade de se converter para a interceptação.
O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Jorge Armando Felix, lembrou que há um parecer do Exército sobre o assunto, que será comentado na reunião reservada. O general enfatizou que espera um laudo técnico que está sendo preparado pelo Instituto de Criminalística da Polícia Federal, que é o órgão que tem a atribuição legal para dar parecer sobre esse assunto.
Para o diretor da Policia Federal, Luiz Fernando Corrêa, é preciso acabar com o mito de que há um uso indiscriminado de interceptações legais no Brasil. Segundo ele, dos 160 mil inquéritos, apenas pouco mais de 3% utilizam-se de instrumentos da interceptação legal.A Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência está reunida na ala Senador Alexandre Costa, sala 7, do Senado. Fonte: Agência Câmara

Nenhum comentário: