quarta-feira, 2 de julho de 2008


Despreparo do Estado em controlar as gangues no Brasil é gritante.
Arrogância dos profissionais do Direito é uma barreira para superar o problema.

Imagem: acreditem, criaram um programa de vídeogame em que você evolui fazendo parte de uma gangue.

.
O problema das gangues no Brasil caminha para uma situação de maior violência em nosso país. Estados Unidos possui forças policiais que estudam e são preparadas para lidar de forma específica com esse problema.
No Brasil, cada vez mais jovens são cooptados para agirem para e sob a proteção de gangues juvenis.
A questão da formação das gangues demanda estudos científicos sobre os processos de formação desses grupos. Profissionais do Direito simplesmente desconsideram o problema e pensam que podem resolver a situação apenas com o uso do Direito.
Falta de uma visão interdisciplinar (com a a juda da Criminologia, Psicologia, Sociologia, Serviço Social, Psicanálise etc) aliada á total não-comunicação entre os setores de infância e da juventude e as áreas criminais dos fóruns deixam a sociedade desprotegida.
Descompasso entre varas da infância e criminais.
Alguns jovens infratores cometem 10, 20 e 30 "atos infracionais" na menoridade. Ao completar a maioridade continuam atacando as pessoas (em especial: mulheres, idosos e crianças) e são retirados de circulação apenas depois de vários meses.

Um comentário:

Anônimo disse...

Dr. Lélio, quero parabenizar o senhor pelo trabalho hérculeo que está realizando com o seu blog, o seu outro site e com seu grupo de discussão. O senhor tem colocado a gente para pensar nos absurdos que acontecem na justiça do Brasil. Estou olhando agora a questão da vítima também, se o senhor não fala, acho que eu não teria percebido. João de Deus Silva, Recife (PE)