quarta-feira, 2 de julho de 2008

Número de policiais não é suficiente para a demanda em Minas Gerais. Criminologia adverte sobre o fenômeno de "vitimização secundária".

Globo. Há dificuldade para conseguir registrar uma ocorrência em algumas delegacias de Belo Horizonte e da Região Metropolitana. São apenas 68 detetives para solucionar todos os crimes na capital.




É preciso abrir mais concursos públicos e contratar mais policiais e peritos para o Estado de Minas Gerais. Situação é um desafio para a atual Administração do Estado e do país. Polícia Federal também possui efetivo reduzido para dar conta de sua importante função.

A situação demonstrada pela matéria é estudada pela criminologia como "vitimização secundária". Após sofrer o ataque de um criminoso, a vítima é exposta a novo sofrimento(desnecessário e alvitante) ao procurar o Estado, e encontrar essa precária forma de atendimento. A vítima é empurrada de um lado para o outro. Sem mais concursos, não há como resolver o problema. Ano vai, ano vem, é sempre a mesma conversa. Enquanto isso as vítimas....

Nenhum comentário: